Menu Categorias

Publicado em Diversos -

Se Há Tanta Paz…

Se Há Tanta Paz…

Se há tanta paz no azul que o céu abriga,
E há tanto azul que tanto bem nos faz,
Se há tanto azul e há tanto céu, me diga
Por que é que o homem não encontra a paz?

Se há tanta paz no verde-mar da onda
Que faz-se verde e em branco se desfaz,
Se há tanta onda pelo mar, responda:
Por que é que o homem não encontra a paz?

Se há tanta paz no olor das multicores
Flores: orquídeas, rosas, manacás…
Se há tanta paz em cada flor e há tantas flores
Por que é que o homem não encontra a paz?

Se há tanta paz nos cânticos suaves
Que entoam na alvorada os sabiás,
Se há paz num canto de ave e há tantas aves,
Por que é que o homem não encontra a paz?

Se há tanta paz na brisa que desliza
Sobre as folhagens, tímida e fugaz;
Se há tanta paz na brisa e há tanta brisa,
Por que é que o homem não encontra a paz?

Se há tanta paz nas expressões tão mansas
Que ao vir ao mundo uma criança traz,
E cada dia existem mais crianças,
Por que é que o homem não encontra a paz?

Se há tanta paz nos corações com fé
Que atrai o bem e afasta as coisas más,
Então oremos juntos, todos de pé,
Para que o homem encontre um dia a paz

Autor: Luna Fernandes.

Este poema foi primeiro lugar no III Concurso de Poesia “Brasil dos Reis” – Angra dos Reis – RJ – 03/05/1986). O poema Se Há Tanta Paz…, também está publicado em seu livro Primícias, onde o autor reuniu seus cem primeiros trabalhos poéticos premiados. Além de inúmeros prêmios conquistados, Luna Fernandes é também um laureado trovador, detentor do título “Magnífico Trovador” – o mais importante do gênero no Brasil – outorgado pela UBT.

se-ha-tanta-paz-02a

Compartilhe